José Lucas Barros


A ACADEMIA DE TROVAS DO RIO GRANDE DO NORTE, criação, atividades, importância.
Na década de sessenta, a trova andava em efervescência pelo Brasil afora. Luiz Otávio, o Príncipe dos travadores brasileiros, que acabara de fundar, no Rio de Janeiro, ao lado de J.G. de Araújo Jorge, a União Brasileira de Trovadores, saiu percorrendo diversos Estados da Federação, instalando seções locais da entidade. A liderança incontestável do Príncipe logo deu asas a um movimento que entusiasmou poetas e intelectuais em diversas partes do território nacional.
Ao sopro desses ventos que vinham do Sudeste, um grande grupo de poetas e trovadores do Rio Grande do Norte, com o apoio alentador de Luís da Câmara Cascudo, fundou em Natal, no dia 12.11.1965, o CLUBE DOS TROVADORES POTIGUARES. Assinaram a ata de fundação o Mestre Cascudo, escritor Enélio Lima Petrovich, o jornalista Aluísio Meneses de Melo, os poetas Luiz Rabelo, Letícia Galvão, Antídio Azevedo, Rômulo Chaves Wanderley e outros.
O CTP instituiu 60 (sessenta) cadeiras. A cadeira nº 1 foi ocupada por Luís da Câmara Cascudo. Outros nomes de peso pertenceram à entidade, como Mons. Walfredo Gurgel, Manoel Rodrigues de Melo, Esmeraldo Siqueira, Palmira Wanderley, Enélio Lima Petrovich, Mons.José Alves Landim e outros.

Em 1966 foi realizado o Primeiro Concurso de Trovas, com o tema CARIDADE. e o Segundo em 1967, com o tema MÃE, cujo primeiro lugar foi conquistado pelo trovador Wilson Dantas.

Em 12.11.1966, foi lançado o primeiro número do jornal O TROVADOR, órgão oficial da ATRN, que ainda circula até hoje, ultimamente com periodicidade trimestral.

Em 11.2.1967, por sugestão do Des. e trovador Wilson Dantas,
O CLUBE DOS TROVADORES POTIGUARES foi transformado em ACADEMIA DE TROVAS DO RIO GRANDE DO NORTE, reduzindo para 40 (quarenta) o número de cadeiras, seguindo o modelo das demais academias.

Em 27.3.1967, o Mestre Cascudo fez uma substanciosa conferência sobre a trova, no Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.
Em 1969, no período de 23 a 29 de outubro, a ACADEMIA promoveu o I ENCONTRO NACIONAL DE TROVADORES, em Natal, com o patrocínio do Instituto Nacional do Livro, que tinha como Diretor, na época, nosso ilustre conterrâneo Humberto Peregrino Júnior.

Em 25.10.1969, dentro da programação do encontro de trovadores, foi instalada oficialmente a UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES, seção de Natal, com a presença do Príncipe Luiz Otávio, presidente nacional da entidade. A UBT funciona lada a lado com a ATRN, em sessões conjuntas. As duas entidades, que não têm sede própria, já funcionaram em diversos locais desta cidade. Por vários anos a ATRN realizou suas sessões no Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, depois no Memorial Câmara Cascudo nas primeiras terças-feiras de cada mês. Ultimamente se reúne na ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS APOSENTADOS DO BANCO DO BRASIL - AFABB, na Av. Floriano Peixoto, 616.
Essa, a exposição histórica da entidade, que continua em sua missão de reunir poetas e trovadores, valorizar e publicar seus trabalhos, debater temas de interesse estadual, regional e nacional, promover concursos de trovas também de alcance estadual, regional e nacional, com temas de importância cultural, histórica, social e humana, como Ecologia, Trabalho, Emprego, comemorações de centenários de Câmara Cascudo, de Auta de Sousa, da cidade do Natal, etc.

José Lucas de Barros.