Revista Gestão Universitária
 Cinquenta
comunidades do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), no Rio Grande do
Norte, receberam bibliotecas rurais do Programa Arca das Letras, em 18 de
dezembro.
A ação é fruto da
parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e a Secretaria de
Estado de Assuntos Fundiários e de Apoio à Reforma Agrária (Seara). As novas
bibliotecas vão beneficiar cerca de 1,2 mil famílias em 18 municípios
potiguares.
`Fazer parte de uma
política para o povo do campo, levando informação a populações que estão
distantes do meio urbano, é motivo de orgulho e satisfação. Sentimo-nos
contemplados com a célebre frase do saudoso poeta Castro Alves, que diz:
‘bendito o que semeia livros e faz o povo pensar’”, observa a coordenadora da
Ação Cultural da Secretaria de Reordenamento Agrário (SRA/MDA), Dione Ferreira.
Para o delegado do
MDA no Rio Grande do Norte, Raimundo Costa, a ação confirma o esforço do
Ministério em integrar “políticas que buscam melhorar a qualidade de vida dos
agricultores e o desenvolvimento socioeconômico do rural brasileiro”.
Com essa entrega,
serão mais de 700 arcas implantadas no estado. O Programa já contemplou
aproximadamente 55 mil famílias de agricultores familiares com a distribuição
de 144 mil livros didáticos e de literatura, estimulando a leitura e o processo
educativo das comunidades beneficiadas.
A solenidade de
entrega contou com a presença da governadora Rosalba Ciarlini; do secretário da
Seara, Rodrigo Fernandes, e de representantes das comunidades contempladas e
convidados. Ainda serão capacitados 100 agentes de leitura, voluntários
indicados pelas comunidades para atuar na gestão das bibliotecas e no estímulo
à leitura.

Municípios contemplados
Os 18 municípios
beneficiados com as bibliotecas são: Assu; Afonso Bezerra, Ielmo Marinho,
Ipanguaçu; Lagoa de Velhos, Rio do Fogo, Touros, Pedro Avelino, Fernando
Pedroza, Senador Elói de Souza, Jardim do Seridó, São Miguel do Gostoso,
Ceará-Mirim, Lagoa Salgada, Macaíba, São José de Mipibú, Lajes e Maxaranguape.

Sobre o Programa


Criado pelo MDA em 2003, o Programa Arca das Letras já beneficiou mais de um
milhão de famílias em comunidades de agricultores familiares, de assentados da
reforma agrária e do Crédito Fundiário, de pescadores, de remanescentes de
quilombos, de indígenas e de populações ribeirinhas.
A ação conta com
uma rede de parceiros que apoiam o programa com a doação de livros e material
gráfico, com a construção dos móveis-bibliotecas e em diversas atividades que
envolvem a implantação das bibliotecas Arca das Letras nas comunidades.
Nestes 10 anos de
programa, foram implantadas 10 mil bibliotecas, distribuídos dois milhões de
livros em dois mil municípios em todo o País.