PAULO LYRA (CONTINUAÇÃO)
Por Eduardo Gosson(*):
Nesta série alguns personagens serão enfocados mais de uma vez: é o caso do pianista PAULO LYRA, figura singular que eu tive o prazer em conhecer. De temperamento gaiato, incorporava diversos personagens.
Parecido com o diplomata LEÃO VELOSO, certa feita estava em um restaurante sofisticado, no centro do Rio de Janeiro, quando foi abordado pelo garçon:

Garçon: "-boa noite embaixador Leão Veloso. Quanto tempo...
Paulo Lyra: É, amigo. Estive um ano fora do país, oportunidade em que conheci o Continente Africano quase todo. Fui à serviço do ITAMARATI.
Paulo Lyra: "-garçon, traga-me a conta por favor!
Garçon: "-Hoje o senhor não pagará nada. O gerente está mandando dizer que é cortesia da casa pelo seu retorno ao nosso convívio.!"
Moral da estória: comi, bebi, passei-me pelo embaixador e não gastei um centavo do meu bolso."
E viva o embaixador Leão Veloso!