ASSU

Amo-te com o amor definitivo
das coisas simples,
que não precisam ser explicadas,
não buscam ser compreendidas,
porque em si mesmas desatam todas as
gamas
do ser.

Amo-te com o amor constante dos elementos
naturais da sucessão inevitável entre o dia e a
noite.

Amo-te como a vida
e quanto mais de ti estou longe,
mas te trago dentro de mim.


CANTOS (VII)

Uma a uma,
recortadas com tesoura de ponta fina,
as figuras de açúcar
se enfileiram no tabuleiro,
aguardando a avidez das crianças
que desejarão
cachorros, cachimbos, cobrinhas, cajus
no desenho dos alfenins
na simplicidade que sabe a meninice.