ESTUPOR

 

 

Esse súbito não ter

Esse estúpido querer

Que me leva a duvidar

Quando eu devia crer

Esse sentir-se cair

Quando na existe lugar

Aonde  se possa ir

Esse pegar ou largar

Essa poesia vulgar

Que não me deixa mentir

CURITIBAS

Conheço esta cidade

Como  a palma da minha pica.

Sei onde  o palácio

Sei onde a fonte fica

Só não sei da saudade

A fina flor que fabrica.

Ser, eu sei. Quem sabe,

Esta cidade me significa.

ÓPERA FANTASMA

 

Nada tenho.

Nada me pode ser tirado.

Eu sou o ex-estranho,

O que veio sem ser chamado

E, gato, se foi

Sem fazer nenhum ruído.