MEMORIAL

Araponga proclamava chuva enquanto meninos corriam,
As labaredas do sol dormiam no recesso descontínuo
das nuvens
Eu agitava meus cabelos molhados enquanto pedalava
uma bicicleta vermelha cheias de quedas e velocidades e
em cada ladeira de cascalho eu deixava uma gota
caída de meus cabelos
Que as labaredas anônimas do sol e os pés ágeis dos meninos
Não conseguiam apagar .

O POEMA

O verso é livre arbítrio
Escolha
Palpite.

Feliz ou infeliz
O verso já existe
Quase exato
Antes do trato.

O verso é promessa
Do poema :
Acerto ou
Equívoco.

O leitor é árbitro
Do poeta que se enreda
No poema.

OBJETO

O homem que está perto
É objeto
o que está longe
É euforia
Assim como a noite
Mais promete
Quando é dia.