Vaso a verdade

vertente de tudo

vinda de longe

trazendo prelúdios

de canção inédita.

Vazo a verdade

vinda de perto

em vôo visível

de sonho modesto

no vértice vivo.

Vazo canção isolada…

sozinha no tempo.

METÁFORA ANTIGA

O artesão da palavra

faz paragem no tempo,

com talento, tela e fios

faz também surgir tramas e teias,

viaja   e busca no íntimo,

melodia e tijolo antigo

que completam o sonho.

PÁSSARO DE FOGO

Trovão, fogo,

fanfarra

assustam o pássaro,

que pernoita

no alçapão.

Chuva miúda

faz festa

para o pássaro

sair do silêncio.

O pássaro voa

e expande silêncios,

esconde esperança.

Metamorfose

de pássaro de fogo.