Ofereço modesto saber

único, inarredável

penhor, inenarrável

fruto, inaceitável

àquelas pessoas de

existência não sadia.

E de vida vazia!

Eis meu prêmio

para doar na

passada

presente

futura

agonia.

 

 

 

LASCÍVIA

Diante de meus famintos olhos

vejo-te belamente nua, cercada

de misteriosos arvoredos.

(Minha imaginação única).

Embora vestida de pudores e

farta de doces odores.

(Meu paladar ímpar).

Na tessitura e sinuosidade entre

teu corpo e o meu desejo.

Bené Chaves

 

MOÇA BONITA

 

Oh, menina dos olhos da cor de mel!

Tanta sede eu tenho, quero bebê-la

e vontade de tê-la.

Vê-la com meu sêmen, apalpá-la,

querer o orgasmo e no fervor

ficar pasmo.

E gritas um pranto em desespero!

Mas não olhes pra mim chorando,

apenas ria, pois estou do teu lado.

Tens gosto de quê, olhos de fel?

Quero ver-te nua, vamos…

Despe-te deste ingrato véu!

Bené Chaves