UMA CASA

São espesas as paredes

espesas a massa
a areia o cimento

espessa toda a matéria
com que se constrói
uma casa: vigas
de fato, alimento

as várias espécies
de sustento
pra tudo o que circula
sob o vão das telhas:

pêlos do corpo, amor
bebedeira, esquecimento

espessos os alicerces
de silêncio
em que repousa a casa

RETRATO

Tua minúscula figura
- o chapéu, o guarda-chuva

apontando contra o fundo claro,
excessivamente claro da rua –

está de costas na fotografia.
Mas meus olhos recortam da foto

o resto do corpo: um jeito
marcadamente torto de estar,

o rosto vincado de presságio
de sol, chuvisco, mau tempo,

a luz das pestanas oscilando
da areia da praia
ao pardo café dos dias: “ só dói
quando eu rio”, dizias.

Eis uma tentativa de retrato
que a memória porosa compõe

como um totem
precariamente talhado

para alguém que, enquanto no horizonte

se aproxima uma invisível trovoada,

preferia estar em casa
conversando com os filhos.