Nos golpes duros da vida e

toques suaves na alma, a

inexistência do Universo.

 

                                   E em impossíveis glórias, as

inglórias possíveis.

 

Nas sombras do humano e

labaredas do desumano.

Dia a dia, mês a mês, ano

a ano.

 

Na festa, sestra, na cresta.

Sesta, réstia e fresta.

 

E na solidão que ficou, uma

saudade do que restou.

                                                          Bené Chaves