“Chegou o momento de içar as velas e partir. Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé” (Paulo a Timóteo, 4-6,7).


Nascido em Natal na Rua Prof. Zuza aos 8 de fevereiro de 1944, Ivoncísio Meira de Medeiros é filho do Professor Tarcísio Medeiros e de D. Ivone de Meira Lima Medeiros. A sua primeira escola foi o Jardim de Infância do Grupo Escolar “Áurea Barros”, no Tirol. Fez seus estudos primários no Externato São Luís do Monsenhor Eymard Monteiro, tendo como primeira professora D. Olívia Rodrigues. Preparou-se para o Exame de Admissão com as Professoras Maria Dourado e Fátima Guimarães. Cursou o Admissão ao Ginásio e o 1º Ano Ginasial no Colégio Santo Antônio dos Irmãos Maristas (1955/56 em Natal, de onde foi para o Juvenato da Imaculada Conceição, em Apipucos (Recife), a conhecida Casa de Formação da Congregação Marista (1957/59).

Retornando para Natal, concluiu o Curso Ginasial no Ginásio “7 de Setembro”(1960/61) e o Clássico no Colégio Estadual do Atheneu Norte-Riograndense (1962/64). Bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1970) e obteve o título de Mestre em Ciências Sociais e Políticas pelo Instituto de Ciências Sociais e Políticas   ( a chamada Escola de Adriano Moreira), na Universidade Técnica de Lisboa (1971/72). Credenciado pelo “Curatorium”, foi admitido nos cursos e aos exames para a obtenção do Diploma da Academia de Direito Internacional de Haia/Holanda (1972).

No magistério estadual, foi professor de Língua e Civilização Francesa nos Colégios Winston Churchill e Padre Miguelinho e na Aliança Francesa de Natal. Na Universidade Federal aposentou-se no cargo de Professor Adjunto da área de Ciências Políticas, tendo exercido várias funções na administração universitária. Por quarenta e dois anos serviu ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, onde aposentou-se como Diretor Geral da sua Secretaria. Exerceu a função de Diretor do Centro de Documentação Cultural da Fundação José Augusto, quando representou o Estado do Rio Grande do Norte como membro do Conselho Nacional de Museologia, presidido pelo então Ministro da Cultura Celso Furtado. Foi membro da Comissão Estadual de Moral e Civismo, tendo  exercido a sua presidência. É Oficial da Reserva do Exército Brasileiro (Arma de Infantaria); membro da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra; Sócio Efetivo do Instituto Histórico e Geográfico; Colaborador Emérito do Exército Brasileiro, Diploma da “Association Connaissance de Notre Europe”, agraciado com a Medalha do Mérito Eleitoral “Tavares de Lyra” pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, com a Medalha de “Amigo da Marinha”, com o Broche de “Amigo da Polícia Militar” e com a Comenda de Remido da Loja Simbólica “Bartolomeu Fagundes” do Grande Oriente Independente do Rio Grande do Norte. É membro da União Brasileira de Escritores do Rio Grande do Norte e da Academia Macaibense de Letras.   .                                                                                             Publicou os seguintes livros: “O Mar Territorial Brasileiro e o Direito Internacional” (Lisboa/1972), tese de Mestrado orientada pelo Professor Doutor Henrique Martins de Carvalho; “Documentos do Rio Grande do Norte” (Fundação “José Augusto”, Natal/1976) com Prefácio de Enélio Lima Petrovich; “O Partido Comunista do Brasil e as Eleições no Rio Grande do Norte” (NossEditora,Natal/1984) prefaciado pelo Prof. Jardelino Lucena Filho; “Circunstâncias” (CLIMA, Natal/1986) com apresentação de Iapery Araujo; “O Poder Judiciário no Rio Grande do Norte – 1818 a 1992” (Centro Gráfico do Senado Federal – Brasília/1992) com Prefácio do Prof. Antonio Soares Filho; “Alicerces e Colunas” (2005), livro doutrinário e histórico da Maçonaria Brasileira e Norte-riograndense. Organizou “História e Desporto”, edição póstuma e comemorativa do 90° natalício do seu pai Tarcísio Medeiros. Em 2010, publicou uma coletânea de ensaios e biografias de conteúdo histórico, intitulada “Contando Histórias…”

Editado pela Secretaria de Editoração e Publicação do Senado Federal (Brasília), publicou o “Inventário de Documentos Históricos Brasileiros” (vol.50 da coleção “Edições do Senado Federal”) prefaciado pelo Profa. Esther Caldas Bertoletti, fruto das suas pesquisas em Portugal, Espanha e França, e que foi lançado durante a III Bienal Nacional do Livro de Natal, em junho de 2005. Atualmente, está preparando “Rio Grande: Capitania de Sua Majestade”, uma história documentada.

Publicou no Jornal “A República” de Natal/RN: “Os Cravos Vermelhos estão murchando em Portugal” (agosto de 1975); “Os Sinos dobram em Espanha” (setembro de 1975); “Ideologia: estrutura básica dos Partidos Políticos” (outubro de 1975). No “Boletim Informativo da ABAV” (n° 2): “Genipabu – Um pouco de história”, Natal/1985. No jornal “O Galo” da Fundação José Augusto: “Preservação de Bens Culturais”, Natal, 1985. No “Diário de Natal”: “O Banzo das Dunas” (Cronicas Natalenses – Caderno Muito), 28/10/1999 e no livro “Nossa Cidade Natal”, edição da Prefeitura Municipal, em 1984. Na contracapa do livro “Momento Pensante”, de Públio José, escreveu “Cogito, ergo sum” (2008).

Na “Revista do Cinqüentenário” (1945 a 1995) do Tribunal Regional Eleitoral  publicou “A Justiça Eleitoral no Rio Grande do Norte” (fls. 42 a 65). Na “Revista Eleitoral” publicou “Os Partidos Políticos e a Questão Ideológica” (vol.8, n° 2, 1995) e “Quem foi J. M. de Carvalho Santos?” (vol. 18, 2004).

Esperando publicação: “Os Nossos primeiros Oficiais R/2 – 1944” na Revista do Centenário do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte; e “Dez Sonetistas Potiguares em Laudelino Freire”, na Revista da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras.

Ao longo dos anos, proferiu as seguintes palestras: “Saint-Exupéry: Uma lição de Humanismo” em 1968, na Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte; “ONU – Cidadela de Paz e de Segurança Internacional”, em outubro de 1970, no Colégio Estadual “Winston Churchill”; “Cultura Política” em 1976 para o Curso de Atualização da Mulher, patrocinado pelo Lions Clube; “Os Nossos Primeiros Oficiais R/2 – 1944” no Núcleo de Formação de Oficiais da Reserva (NPOR) do 16° Batalhão de Infantaria Motorizada de Natal, em abril de 2004; “Maçonaria e Sociedade no Século XXI”, no Grande Oriente Independente do Rio Grande do Norte, em dezembro de 2004; “A Polícia Militar do Rio grande do Norte e os seus Feitos Heróicos”, em outubro de 2005; “O Rio Grande do Norte e a sua Vocação Marítima” na Sociedade dos Amigos da Marinha, em novembro de 2005; “A Aliança Francesa – Cinco Décadas em Natal”, na Associação Cultural Franco-Brasileira de Natal, em março de 2008.

Até o presente, foi citado pelos seguintes escritores: por Hélio Galvão em “Novas Cartas da Praia” (fls.98 – nota de rodapé); por Manoel Rodrigues de Melo no Prefácio de “Aspectos Geopolíticos e Antropológicos do Rio Grande do Norte” (fls. 15), por Tarcísio Medeiros; em “Capitães-Móres e Governadores do Rio grande do Norte” (2º Volume), fls. 10, e em “Proto-História do Rio Grande do Norte”, no rodapé da pág. 193; por Olavo Medeiros Filho em “Aconteceu na Capitania do Rio Grande”, fls. 201 (Bibliografia); por Manoel Onofre Junior em “Estudos Norteriograndenses” (1978), fls. 52; por Antonio Soares Filho, em “Antídio Azevedo – Poeta e Trovador” (Discurso de posse na Academia Norte-                                                                                                                   Rio-Grandense de Letras, fls. 31; por Homero de Oliveira Costa em “O Partido Comunista no Rio grande do Norte (1945-1964)”, fls. 56, publicado no “Caderno de História”, vol. 3, n° 1, jan/jun 1996 – CCHLA/UFRN; e em “Memória e História”, Revista do Ministério Público do Rio Grande do Norte, fls. 29, 38, 44 e 124 (Bibliografia).

*         *          *

Foi casado com a Advogada Zara Pessoa Cortez, mãe de seus filhos Raissa Cortez Meira de Medeiros , Felipe Augusto Cortez Meira de Medeiros e  Thiago Cortez Meira de Medeiros. Em segundas núpcias, com a Odontóloga Zoraide Nóbrea de Melo, mãe de  Flávio Henrique Mello Meira de Medeiros e Anna Beatriz Mello Meira de Medeiros. É avô de Lukas Cortez de Medeiros Fagundes, Yuri Felipe de Lima Damasceno Cortez de Medeiros e de Daniel Cortez de Medeiros Fagundes.