O jornalista, poeta e dramaturgo Paulo Jorge Dumaresq nasce na cidade do Rio de Janeiro a 31 de maio de 1964. Com apenas três meses de vida vem morar em Natal. No ano de 1983 ingressa na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, onde cursa Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo, colando grau em 1988. Depois de experiências no jornalismo, Dumaresq descobre a literatura passando a produzir os primeiros poemas e peças. Em 1991, publica o livro Parnamodernia (edição do autor). Segue-se a essa obra Faltam Sinais em Versos Cálidos & Outras Abstrações (edição do autor), lançado em 1995.

Sentindo a necessidade de encenar seus textos dramatúrgicos, funda a Companhia de Repertório Do Riso ao Pranto. A estreia ocorre em outubro de 1993, com o espetáculo Bocas que murmuram, merecedor de duas montagens. Em 1995 apresenta-se no projeto Lança Poesia (FJA/TAM), interpretando poemas de sua autoria. Nesse mesmo ano participa do projeto audiovisual Um Dia, A Poesia, organizado pelo Espaço Cultural Babilônia, interpretando o poema Pasargadiano.

Após parada estratégica, Dumaresq retorna à cena com o espetáculo Os Idos de Março, em abril de 1997. Em 1998, dirige o monólogo Jorges – A poesia de Jorge Fernandes no palco. Com esse trabalho, obtém o prêmio de Melhor Direção no III Festival de Monólogos de Marília (SP). Ainda em 1998 encena também o recital Palavras, Palavras, Palavras, do poeta potiguar Dácio Galvão. No ano 2000, Paulo Jorge Dumaresq apresenta Os Idos de Março no IV Festival de Monólogos de Marília, onde conquista os prêmios de Melhor Cenário e Melhor Figurino.

Dumaresq desenvolveu ainda importante trabalho no Núcleo de Instrumentistas da Zona Norte, no bairro Igapó, ministrando cursos teatrais para a população daquela área, pelo Projeto Nação Potiguar. O trabalho final da turma de 1999 resultou no clássico shakespeariano Sonho de uma noite de verão, adaptado por Paulo Jorge Dumaresq e encenado por Márcio Rodrigues. No ano de 2001, os alunos do Núcleo apresentaram a comédia Com um rei na barriga, escrita e dirigida por Dumaresq. O reconhecimento à militância teatral chegou em forma de convite da Fundação Cultural Capitania das Artes para dirigir o Auto do Natal 2005, intitulado Jesus de Natal, mega-espetáculo a céu aberto, envolvendo mais de 60 artistas em duas apresentações históricas no anfiteatro da Praça Cívica do Campus da UFRN, nos dias 22 e 23 de dezembro.

Na condição de dramaturgo, Dumaresq teve peças montadas e/ou apresentadas nos Estados de Alagoas (Palmeira dos Índios, Maceió), Bahia (Ilhéus, Itabuna, Andaraí, Juazeiro), Espírito Santo (Vitória), Goiás (Goiânia), Mato Grosso (Lucas do Rio Verde, São Cristovão, Cuiabá), Pará (Santarém, Oriximiná, Porto Trombotas, Conceição do Araguaia), Paraná (Curitiba, Cornélio Procópio, Colombo, Pinhais), Pernambuco (Recife, Vitória de Santo Antão), Piauí (Teresina), Rio Grande do Norte (Natal, Macau, Mossoró), São Paulo (Franca, Marília, Piedade, Santa Bárbara d’Oeste, Jandira, São Paulo, Barra Bonita, Lençóis Paulista, Bauru, Pirapozinho, São João da Boa Vista, Itapecerica da Serra, Sorocaba, Osasco, Jaú, Conchas) e no Tocantins (Gurupi e Palmas). A dramaturgia de Paulo Jorge Dumaresq também cruzou o Atlântico sendo encenada em Lajes do Picos (Açores), Medas (Freguesia de Gondomar), Jovim (Freguesia de Gondomar), Óbidos, Santiago de Litém e na Vila da Ericeira, em Portugal, afora Luanda, em Angola.


DIREÇÃO
Bocas Que Murmuram (tragicomédia, 1993/1994).

Os Idos de Março (drama, 1997/ 2000).
Jorges – A Poesia de Jorge Fernandes no Palco (recital, 1998/1999).
Palavras, Palavras, Palavras (recital, 1998).
Com um Rei na Barriga (comédia, 2001).
Auto do Natal (auto, 2005).

DRAMATURGIA
Repouso do Adônis (comédia, 1991). *
Bocas que murmuram (tragicomédia, 1992). *
A fé controversa (drama, 1993).
Solidariedade (roteiro curta-metragem, 1993).
Os patrões (comédia, 1994). *
Viúvos alegres (tragicomédia, 1995).
Os Idos de Março – A agonia de Júlio César (drama, 1997). *
Papo-amarelo (tragédia, 1998).
Jorges – A poesia de Jorge Fernandes no palco (recital, 1998). *
Com um rei na barriga (comédia, 2001). *
A cloaca (tragédia, 2003).
Rabo preso (comédia, 2003).
O falo falho (comédia, 2003).
Ladra que furta ladra não merece pancada (tragicomédia, 2004). *
A vaca milagreira (comédia, 2004).
Cicatrizes (roteiro curta-metragem, 2004).
Água que te quero limpa (esquete ecológico, 2005).
Inferno astral (roteiro curta-metragem, 2005).
A menina de (quase) todos os dias (tragédia, 2007).
Cores para todos os humores (roteiro curta-metragem, 2007).
Águas turvas (tragédia, 2007).
Retorno para o Repouso (comédia, 2008).
A batalha de Os Saltimbancos contra Mister Ratão para salvar Cabraléia (infantil, 2009).
A grande onda (drama, 2009).

* Encenada.