IV ENCONTRO POTIGUAR DE ESCRITORES  – IV  EPE

De 24 a 26 de outubro de 2011

 

 

 

Coordenador Geral:

Eduardo Antonio Gosson

Coordenadores Adjuntos:

Aluízio Mathias dos Santos

Araceli Sobreira Benevides

Antônio Clauder Arcanjo

Carlos Roberto de Miranda Gomes

 

Cid Augusto Rosado da Escóssia

Francisco Alves da Costa Sobrinho

José Lucas de Barros (Academia de Trovas do RN)

Maria Rizolete Fernandes

Maurício  Cardoso  Garcia (SPVA)

Comissão de Divulgação

Alex Gurgel

Franklin Jorge

Francisco Alves da Costa Sobrinho

Cid Augusto )

Jania Maria de Souza

J. Pinto Júnior

Lucia Helena Pereira .

Maria Vilmaci Viana

Nelson Patriota (Diretor de Divulgação)

Paulo Jorge Dumaresq (Assessor Especial de Imprensa)

Local: Academia Norte-Rio-Grandense de Letras

Data: 24 a 26 de outubro de 2011

 

 

 

PROGRAMAÇÃO

 

 

 

24.10.11, segunda-feira:

19h –  Abertura Solene:

.Discurso do Presidente da UBE/RN e entrega de Diploma aos remanescentes de 14 de agosto de 1959 (vivos e in memoriam)

(Eduardo Gosson)

20h30 – As aventuras de Teresa Margarida da Silva e Orta em Terras de Brasil e Portugal

(Conceição Flores)

 

25.10.11-  terça-feira

 

09h – De Poetas e Suas Poesias: Uma Viagem no Tempo

(Ciro Tavares)

10h30 – Belle Époque Potiguar

(Tarcísio Gurgel)

15h – Propostas dos gestores públicos para a Cultura Potiguar

(Isaura Rosado Maia- FJA e Roberto Lima- FUNCARTE)

Moderador: Eduardo Gosson

16h30 – Direito e Literatura

( Jurandyr Navarro, Manoel Onofre Júnior e Miguel Josino)

Moderador:  Carlos Gomes

18h – Lançamentos de  livros e sarau com a Academia de Trovas RN (Coordenação José Lucas de Barros),  crianças  e professores da rede pública.O dramaturgo Paulo Jorge Dumaresq lançará duas peças em um só livro” bocas que murmuram e Retorno do Adônis”.

26.10.11, quarta-feira:

09h -  Contribuição Cascudiana para  História,  Etnografia e Literatura Oral

(Anna Maria Cascudo Barreto, Diógenes da Cunha Lima e Vicente Serejo)

Moderador: Roberto da Silva

10h30 –  Instituto Cultural do Oeste Potiguar – ICOP

(Aécio Cândido)

15h –  Vozes Femininas na Literatura Potiguar

( Valdenides Dias)

16h30 –  A questão do livro e da leitura

(Claudia Santa Rosa,Erileide Rocha e Fernando Mineiro)

Moderador: Chico Alves

18h – Lançamentos de livros e sarau (SPVA) + crianças e professores da rede pública

Coordenação: Maurício Garcia

ESCRITORES HOMENAGEADOS

01.Vivos

 

Afonso Laurentino Ramos

José  Sanderson Negreiros

Eider Furtado de Mendonça e Menezes

Enélio Lima Petrovich

Dorian Gray Caldas

 

 

02. In memoriam

 

Aluízio Alves

Antídio de Azevedo

Alvamar Furtado de Mendonça

Augusto Severo  Neto

Américo de Oliveira Costa

Berilo Wanderley

Edgar Ferreira Barbosa

Esmeraldo  Homem de  Siqueira

Hélio Mamede de Freitas Galvão

Jaime  Guimarães Wanderley

José  Saturnino de   Paiva

João Vicente da Costa

Leonardo Bezerra

Luís da Câmara Cascudo

Manoel Rodrigues de Melo

Othoniel Menezes  de Melo

Paulo  Pinheiro de Viveiros

Raimundo Nonato da Silva

Vingt-un Rosado

DISCURSO PRONUNCIADO PELO ESCRITOR EDUARDO GOSSON, PRESIDENTE DA UBE/RN, NA ABERTURA DO IV ENCONTRO POTIGUAR DE ESCRITORES -EPE (24.10.2011)

UBE/RN: UMA NOVA HISTÓRIA

Meus Senhores e Minhas Senhoras:

 

Hoje, 24 de outubro do ano de 2011, quando abro este IV Encontro Potiguar de Escritores, aproveito a oportunidade para levar a essa seleta platéia  um pouco da história do  órgão de classe dos nossos escritores  – UBE/RN, que no dia 14 de agosto passado completou 52 anos de existência.

Para o historiador José Honório Rodrigues, no clássico A Pesquisa Histórica no Brasil, Edições Melhoramentos, afirma:

“a pesquisa histórica é descoberta exaustiva e diligente de novos fatos históricos, a busca da documentação que prove a existência dos mesmos, permita sua incorporação ao escrito histórico ou a revisão e interpretação nova da História”

Foi com base nessa premissa que o escritor  Francisco Martins, pesquisando na biblioteca da Academia Norte- Rio-Grandense de Letras do RN, descobriu uma pasta com importantes documentos: ofícios, recortes de jornal, estatuto e um extrato de ata confirmando a data de 14 de agosto de 1959, às 20h50, no Instituto Histórico e Geográfico do RN  como a data oficial de fundação da União Brasileira de Escritores, secção do Rio grande do Norte. Portanto, há cinqüenta e dois anos e não conforme livro de atas (segunda fase) que indicava 16 de novembro de 1984  no Salão dos Grandes Atos da Fundação José Augusto com a presença de Fagundes de Menezes. Assim, a UBE/RN  tem três fases:  1ª fase (14.08.1959), 2ª fase (16.11.1984) e 3ª fase (23.03.2006).

1ª fase. A idéia partiu do jornalista, escritor e magistrado Edgar Barbosa durante a Semana de Estudos Euclidianos, promovida em Natal/RN, com o apoio de diversas instituições. Na histórica reunião de 14 de agosto  de 1959, às 20h50, no IHGRN com a presença do escritor Umberto Peregrino,  Aldo Fernandes, Edgar Barbosa,  Alvamar Furtado, Grimaldi Ribeiro, Dióscoro Vale, Raimundo Nonato e Manoel  Rodrigues. A diretoria aclamada para a organização da UBE – Secção do  Rio Grande do Norte – ficou assim constituída: Raimundo Nonato – Presidente; Manoel Rodrigues de Melo, Vice-Presidente e Afonso Laurentino – Secretário . Essa Diretoria Provisória preparou o Estatuto e organizou o processo eleitoral em  14.11.1959, três meses depois, sendo eleitos os seguintes escritores para o biênio 1960/1961:

(1ª Diretoria)

 

Raimundo  Nonato da Silva, Presidente;  Paulo Viveiros, 1º Vice-Presidente; Manoel Rodrigues de Melo, 2º Vice-Presidente; José Saturnino de Paiva, 3º Vice-Presidente; Afonso Laurentino Ramos, Secretário  Geral; Berilo Wanderley, 1º Secretário; Leonardo Bezerra, 2º Secretário; Antídio de  Azevedo, 1º Tesoureiro; Jaime dos G. Wanderley, 2º Tesoureiro.

Conselho Fiscal: Câmara Cascudo,Edgar Barbosa , Alvamar Furtado, Esmeraldo Siqueira e Américo de Oliveira Costa.

Vogais: Antônio Soares Filho, Vingt-un-Rosado,  Jurandir Barroso , Zila Mamede e Veríssimo de Melo.

Através de um Comunicado endereçado ao Presidente da UBE nacional , escritor Peregrino  Júnior, datado de 19.11.1959, o presidente da UBE/RN, escritor Raimundo Nonato da Silva  comunica da eleição da 1ª diretoria da entidade, bem como solicita a filiação da UBE/RN à UBE, com sede no Rio de Janeiro.

Em 21.01.1960 foi fundada uma sub-seção da UBE/RN em Mossoró/RN: Jaime Hipólito Dantas, João Batista Rodrigues, Vingt-un Rosado e Manoel  Leonardo Nogueira.

Outra curiosidade: o Estatuto tinha 3 tipos de sócios:1. Sócios Efetivos (fundadores e efetivos). 2. Sócios Honorários e 3.  Sócios Beneméritos.

2º fase. Inicia-se com a vinda de Fagundes de Menezes em 16.11.1984,   no Salão dos Grandes Atos da Fundação José Augusto, na presença de  18 intelectuais. Curioso notar que a escritora Zila Mamede  participou das duas fases, sendo inclusive  Vogal da 1ª Diretoria da UBE (1960/1961) e sócia fundadora na segunda fase. Outra curiosidade: Dom Nivaldo Monte também participou das duas fases.

3ª fase. Inicia-se em 23 de março de 2006 com uma reunião de reorganização, na sede da Academia Norte -rio-grandense de Letras, contando com a presença de sete escritores e mais um na reunião seguinte; e vem até os dias atuais: Anna Maria Cascudo Barreto, Eduardo Antonio Gosson, Lívio Oliveira, Pedro Vicente da  Costa Sobrinho, Nelson Patriota,  Manoel  Onofre de Souza Júnior,  Racine Santos e Carlos Roberto de Miranda Gomes. Lívio ficou exatamente um  ano e nove meses até que, por motivos particulares, renunciou ao cargo de presidente. Nesse pequeno  tempo fez coisas relevantes, destacando-se o encaminhamento aos deputados José Dias e Fernando Mineiro de uma minuta da Lei do Livro (Lei nº 9.105/2008 – Henrique Castriciano) e que o governo passado e o atual  não implementaram. Em seguida, a direção passou para mim que, com valorosos companheiros, venho    navegando em mar revolto, sem ter medo de chegar. Afinal, como bem disse o poeta Pablo Neruda: “Meu destino foi partir/e regressar”. Nesses quatro anos (2008/2009 – Diretoria Provisória; 2010/2011- Diretoria Eleita) reconstruí tijolo por tijolo a UBE/RN: 1. Legalização completa (registro cartorial, CNPJ, conta bancária, utilidade pública Municipal, Estadual e, em breve, Federal); 2. Realização do I, II, III e IV Encontro Potiguar de Escritores;  3. Participação na elaboração da lei nº 9.169/2009 (lei das leituras literárias nas escolas públicas; 4. Campanha de Valorização da Literatura Potiguar (2010) em parceria com o Tribunal de Justiça do RN; 5. Criação do Prêmio Literário Escritor Eulício Faria de Lacerda 2011 (1ª edição) que será anunciado hoje; 6. Criação do Plano Editorial 2012 que  prevê a publicação de 12 obras durante o ano e a edição completa da obra do escritor Eulício  Faria de Lacerda, inclusive acrescentando o romance  A Terceira Manhã que se encontrava perdido . 7. Realização da transferência do domínio do jornal O Galo da FJA para a UBE (aprovado na lei Djalma Maranhão está em fase de captação de recursos);  8. Criação da editora Nave da Palavra; 9. criação de um site: www.ubern.org.br

 

Meus Senhores e Minhas Senhoras:

 

Pode parecer pouco mas não é: sobretudo num país onde a Cultura é um produto de elite e se luta por coisas básicas como a implantação do Plano Nacional de Cultura e por uma Proposta de Emenda Constitucional – PEC 150 – desde 2003.  O Fundo de Cultura, embutido nesta emenda,  define os recursos nas três esferas de governo (federal,2%; estadual,1,5% e municipal,1%). Para agilizar a sua tramitação está sendo criada a Frente Parlamentar da Cultura, que tem na presidência a deputada federal Fátima Bezerra.

Por fim, quero homenagear a memória dos pioneiros da UBE com a entrega de um Diploma (in memoriam) aos familiares, seguindo ao pé da letra o que disse o poeta português Luís Vaz de Camões: “A memória desenterra  os homens do sepulcro”. E quero desenterrar  todos: primeiro, os vivos ; depois, os mortos.

01.Vivos

 

. Afonso Laurentino Ramos. Segundo ofício endereçado pelo 1º presidente da UBE,  escritor Raimundo Nonato da Silva, ao escritor Peregrino  Júnior: “Afonso é um rapaz alegre  e que você vai gostar de conhecer aí no Rio de Janeiro”.

.José  Sanderson Negreiros é poeta potiguar, nascido em Ceará-Mirim/RN, que tem fome de Deus.É um metafísico em busca de outras dimensões.

.Eider Furtado de Mendonça e Menezes é hoje o decano da UBE/RN. Abençoado por Deus em sua longevidade, é orgulho dos que fazem a classe dos Advogados.

.Enélio Lima Petrovich é  um lutador da Cultura a irradiar energia em toda parte. Humilde,é a síntese do homem cordial. Nosso presidente perpétuo do IHGRN.

.Dorian Gray Caldas artista múltiplo. Consegue ser bom ao mesmo em várias dimensões: poeta, artista plástico, escultor. E se nada disso fosse, o seu caráter é a sua melhor herança.

 

O2. In memoriam

 

Aluízio Alves vindo lá do sertão do Cabugi trouxe a modernidade para o Rio Grande Norte.Representou um salto de qualidade.

Antídio de Azevedo de tradição seridoense foi funcionário exemplar  da magistratura primeiro em sua terra natal e depois em Natal no 4º  Ofício de Notas.

Alvamar Furtado de Mendonça. Sempre elegante, foi o primeiro Juiz Concursado do Trabalho no RN e professor na UFRN. Freqüentava com assiduidade a Confraria que se reunia aos sábados na livraria Universitária.

Augusto Severo  Neto poeta e poeta. Viveu liricamente ao lado de sua Lúcia  Beltrão nesta Cidade do Sol.

Américo de Oliveira Costa. Amante dos livros e das bibliotecas possuía uma erudição escondida atrás da timidez e da simplicidade.

Berilo Wanderley. Poeta e cronista. Partiu muito cedo para outra dimensão. Tenho certeza que Deus estava precisando dos seus serviços.

Edgar Ferreira Barbosa. Magistrado, jornalista e escritor refinado.   Partiu dele, durante a Semana de Estudos Euclidianos, a articulação para criação da UBE.

Esmeraldo  Homem de  Siqueira. Profundo conhecedor da Cultura francesa, nos deixou ensaios brilhantes. Dizia o que pensava, por isso colecionou muitos desafetos.

Hélio Galvão. “Pertencia a classe de homens que só  é vista pelo avesso(…)inabalável nos seus pontos de vista,” segundo Manoel Rodrigues de Melo. Historiador  brilhante”.

Jaime  Guimarães Wanderley poeta e poeta. Ao contrário dos poetas do começo do século XX que gostava de andar todo de  preto, gostava do terno linho branco. Era um aristocrata.

José  Saturnino de   Paiva. Professor, educou diversas gerações neste Rio Grande. Era o revisor de Cascudo. Não há uma única escola com seu nome.

João Vicente da Costa. Magistrado exemplar. Intelectual brilhante, tio do nosso  Manoel Onofre Junior.

Leonardo Bezerra. Jornalista e intelectual  brilhante.

Luís da Câmara Cascudo é o nosso Oceano Atlântico.

Manoel Rodrigues de Melo. É o  intelectual que a sociedade precisa: reflexão e ação.Estudioso da questão  regional. Construtor desta Academia.

Othoniel Menezes  de Melo. Poeta, autor do verdadeiro hino desta cidade – Serenata do Pescador –,  conhecida na boca do povo como Praieira. Mesmo tendo partido para outra dimensão há quarenta e dois anos, recentemente sofreu um ataque à sua memória. O pedestal onde seria afixado seu busto – doado pelo seu filho Laélio de Melo – foi derrubado por ordem de uma autoridade militar.

Paulo  Pinheiro de Viveiros professor brilhante da velha Faculdade de Direito da Ribeira.

.Raimundo Nonato da Silva. Primeiro presidente da UBE/RN. Segundo Veríssimo de Melo:”representa a vitória da tenacidade e da inteligência sobre uma condição humilde,num meio pequeno e de raras possibilidades para ascensão na  vida social.É o autêntico self-made man”

.Vingt-unRosado é outro Oceano da Cultura. Idealizador da maior coleção de títulos do Brasil: a Coleção Mossoroense.

Com a convicção de que “morrer não dói, o que dói é o esquecimento” encerro minhas palavras.

Muito obrigado!

Natal/RN, 24 de outubro de 2011

Eduardo Antonio Gosson

Presidente da UBE/RN