Otto de Brito Guerra (Mossoró2 de julho de 1912 - Natal16 de março de 1996) foi advogado brasileiro formado pela Faculdade de Direito de Recife.

Ocupou os seguintes cargos públicos: 1933-1935: Chefe de Gabinete e Secretário do Interventor Mário Câmara. 1935: 2º Promotor Público de Natal. Nos anos posteriores foi Delegado Seccional do Serviço Nacional de Recenseamento, Consultor Jurídico e Diretor do Departamento das Municipalidades, Diretor do Departamento Estadual de Reeducação e Assistência Social, Chefe da Seção de Assistência Judiciária da LBA e Superintendente desta entidade do Rio Grande do Norte (1945). 1948: Procurador e Advogado da Caixa Econômica Federal do Rio Grande do Norte. 1951: Procurador Geral do Estado durante os primeiros meses do ano, no Governo de Dix-Sept Rosado. Durante o regime militar de 1964 atuou como advogado de presos políticos.

Foi um dos fundadores da Escola de Serviço Social do Natal e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, sendo o 1º vice-reitor da Instituição. Lecionou na Escola de Serviço Social, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Natal, na Escola de Sociologia e Política da FJA e na Faculdade de Direito da UFRN, juntamente com Floriano Cavalcanti de Albuquerque e Manoel Varela de Albuquerque.

Fez parte da Academia Norte- Riograndense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte; foi um dos fundadores da Academia Norte-Riograndense de Ciências; da Associação de Apoio as Comunidades do Campo do Rio Grande do Norte – AACC; membro do Conselho Diretor da Fundação Paz na Terra; fez parte da Comissão sobre Direito das Crianças; Adolescentes e Deficientes da OAB/RN e do Conselho Estadual de Cultura.

Como jornalista foi um dos primeiros diretores do Jornal A Ordem. Atuou também na Tribuna do Norte, na A República e no Diário de Natal.

Publicações

  • Vida e Morte do Nordestino: análise retrospectiva, 1989.
  • Tragédia e epopéia nordestina, 1983.
  • O desenvolvimento a serviço do homem, 1973.

Referências