TESTAMENTO

Enterrem-me no rio,
Perto de uma garça branca.
O resto já será meu.
E aquela correnteza franca

Que eu, passando, pedia,
Será pátria recuperada.
O êxito do fracasso.
A graça da chegada.

A sombra-em-cruz da vida
Sob este sol de verdade
Tem a exata medida

Da paz de um homem morto...
E o tempo é eternidade
E toda a rota é porto!

EQUÍVOCOS

Onde tu dizes lei,
Eu digo Deus.
Onde tu dizes paz, justiça, amor,
Eu digo Deus!

Onde tu dizes Deus,
Eu digo liberdade,
Justiça,
Amor!

AMÉRICA NOSSA!


América Índia ainda
- mãe na liberdade e na Sabedoria!

América, ontem Espanhola!
-romântica namorada!

América Livre Nova amanhã
-irmã!