(a questão das drogas – Anfetaminas)

 Por Eduardo Gosson(*)

 

As drogas sintéticas chamadas de “bolinhas ou rebite”  que fizeram  a cabeça da juventude nos anos 70, estão de volta, batizadas com nomes mais ousados ecstasy  que são amplamente consumidas nos pubs e nas reves.

Esta droga foi sintetizada  em 1887 na Alemanha, porém só em 1930 foi que passou a ser usada no tratamento de várias doenças, especialmente na  narcolepsia  (sono incontrolável), nos  distúrbios de concentração  e depressão.

Como efeito estimulante foi usada na Segunda Guerra Mundial para combater a fadiga dos  soldados e também pelas  as tropas americanas nas guerras do Vietnã (1961-1973) e da Coréia(1950-1953).

Calcula-se  que 4,4% dos estudantes das dez maiores capitais já fizeram uso, levando-os à dependência. No meio dos meninos de rua é a terceira droga mais consumida no Nordeste, perdendo para a maconha e os inalantes. Seu princípio ativo anticolinérgico serve para combater também o Mal de Parkinson ou distúrbios gastrintestinais.

(*) Poeta, preside a União Brasileira de Escritores  - UBE/RN