JORGE O’GRADY DE PAIVA: “NA SEARA DAS LETRAS, DA FÉ E DA CIÊNCIA”
Pesquisa e texto: Frank Tavares Correia
.

“Retrocedo, no tempo, 33 anos e vejo-me, 1935, na cidade natal do poeta em cuja honra foi organizada esta tarde de emoção, para comemorar-lhe o septuagenário, que hoje transcorre.

“Era, a bem dizer, aquela minha primeira paróquia, pois ordenado em novembro de 1934 só durante dois meses fui vigário de Canguaretama, já a 24-2-1935 nomeado para reger a freguesia de N. S. da Conceição de Macau.

“Bem podeis imaginar a alvoroçada alegria do jovem pároco ao demandar aquele centro salineiro, de que tanto ouvi falar em substituição a vultos como o Paulo Herôncio de Melo e Luís Teixeira de Araújo, de par com a responsabilidade de exercer o múnus sacerdotal na terra do virtuoso e admirado êmulo de João Maria, e a quem assim se referiu o poeta macauense:

- Quando disser, na terra, a prece derradeira

Há de subir a alma serena e pura

De Monsenhor Joaquim Honório da Silveira –.

“Só um ano passei em Macau, designado que fui, em princípios de 1936, para substituir, na direção do Colégio Diocesano S. Luzia de Mossoró, o Cônego Ramalho, que o governo Rafael Fernandes, chamara à Secretaria de Educação do Estado” (JORGE O’GRADY DE PAIVA. Na seara das letras, da fé e da ciência, Rio de Janeiro: Edição do Autor, Rio de Janeiro: 1968 p. 263). .

“Na seara das letras, da fé e da ciência”, de autoria do Cônego JORGE O’GRADY DE PAIVA (Ceará-Mirim-RN, 26-05-1909 – Rio de Janeiro-RJ, 24-01-2001), foi publicado no Rio de Janeiro, em 1968, impresso pelo Departamento do Ensino técnico profissional da Fundação Romão de Matos (RJ). Na página 05, faz o autor três homenagens: 1) CARLOS LACERDA (1914-1977); 2) SEABRA FAGUNDES (1910-1993); 3) PAULINO OLIVEIRA E BEATRIZ FERNANDES OLIVEIRA.

A obra de 288 páginas e 35 capítulos é uma coletânea de ensaios discursos e conferencias. Destaque para dois ensaios críticos enfocando o primeiro (capítulo XXVII) “A Poesia de Zila Mamede, e o segundo ensaio (capítulo XXV), dedicado ao poeta EDINOR AVELINO sob o título: “Edinor Avelino e a universalidade de sua poesia”. Um outro tema eminente potiguar é tratado no capítulo XXXIII: “Ad Lucem Versus”, transcrição do “Necrológio do C.° L. “Monte, falecido a 28-2-1944 e publicado em A ORDEM, de Natal, em 04 de março do mesmo ano”.

São de autoria do autor ainda os seguintes trabalhos: ”Verdade e Vida”, 1948; “João Gualberto”, 1952 (Prêmio Carlos de Laet, da Academia Brasileira de Letras); “Excelências do Rosário”, 1958; “Astronomia e Astronáutica – Dicionário   Brasileiro”, 1969; “Apreciação Literária da Poesia de Segundo Vanderlei”, 1970; “Caminhos cruzados da inspiração”, 1971; “Prédicas, Saudações e Necrológios, 1983”; “Dicionário de Nomes Próprios Pessoais (obra póstuma), 2006.

JORGE O’GRADY DE PAIVA, membro da Academia de Letras do Rio Grande do Norte, Cadeira 22, tomou posse no dia 30 de agosto de 1984.


Bibliografia:

Discurso de Posse do Acadêmico Jorge O’Grady de Paiva. Natal: Fundação José Augusto, 1984.

Enciclopédia de Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Fundação de Assistência ao Estudante, 1990.