(a questão das drogas- Cigarro)

Por Eduardo Gosson (*)


Dando prosseguimento aos artigos COMBATE ÀS TREVAS,  hoje abordaremos o cigarro, que é uma droga legal vendida em qualquer esquina e que causa sérios problemas a médio e a longo prazo.

Cristóvão Colombo quando veio em direção às Américas encontrou entre os indígenas o tabacum que eram usados em seus rituais. A França foi o primeiro país europeu a conhecer o tabaco. Lá mudou de nome para nicotina em homenagem ao diplomata Jean Nicot (1530-1600). A partir   do século XX passou a ser fabricado em escala industrial como conhecemos hoje. A  mídia, através dos meios de comunicação de massas, incentivou o consumo, principalmente o cinema; dos anos cinqüenta até os dias de hoje é veiculado sistematicamente.

Segundo os especialistas, o cigarro possui em torno de 5.000 substâncias químicas que provocam desde o câncer, a impotência sexual até o enfisema pulmonar. Para obter mais prazer o indivíduo vai aumentando o consumo até desenvolver a dependência.

Desde os anos 70 que, aos poucos, as pessoas estão se conscientizando dos seus malefícios e muitos países proibiram as campanhas publicitárias. Segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS, o tabagismo é responsável pela a morte de 4 milhões de pessoas no mundo e no Brasil é responsável  por 80.000 mortes por ano.

Afora o amarelecimento dos dentes, o cigarro provoca  mau-hálito. Vai continuar fumando?

Hoje, existe tratamento medicamentoso para você deixar de fumar. Procure um médico psiquiatra  especializado em dependência química.

(*) Poeta, preside a União Brasileira de Escritores – UBE/RN